sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Mulheres no Shala - Vivências do Feminino


Mulheres no Shala - Vivências do Feminino
Encontros mensais, com o propósito de despertar e fortalecer a consciência feminina.
1 sábado por mês, das 9h às 11h
Contribuição: R$ 35 (antecipado)
Na hora: R$ 45

Bênção Mundial do Útero (BMU)
A Bênção do Útero é uma meditação para “sintonização", harmonização e alinhamento, para trazer cura à nossa feminilidade, ao nosso útero e ao nosso ciclo, à criatividade e fertilidade, sexualidade e espiritualidade, restabelecendo a nossa beleza, abundância e amor, sabedoria e força.

A sincronização restabelece a nossa pureza e beleza naturais, a abundância e o amor, a criatividade e a magia, bem como a nossa sabedoria e força. Liberta-nos do nosso passado, de expectativas limitadoras, da culpa e da dor, ela libera a profunda alegria e expressão do poder, restaurando a luz na alma de todas as mulheres.

Contribuição: R$ 50

Cronograma 2017
11 fev – BMU (sábado – 9h)
18 mar – Mulheres no Shala – Introdução ao Sagrado Feminino
15 abr – Mulheres no Shala – O Poder da sua Lua
10 mai – BMU (quarta)
13 mai – Mulheres no Shala  – A Mulher e o Parto
17 jun – Mulheres no Shala – A Mulher Selvagem
08 jul – Mulheres no Shala – Nutrição Feminina
07 ago – BMU (segunda)
16 set – Mulheres no Shala – Amor e Sexualidade
05 out – BMU (quinta)
11 nov – Mulheres no Shala – Rituais
03 dez – BMU (domingo)



quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Mandala Lunar 2017


Mandala Lunar 2017
Um caminho de autoconhecimento feminino
      
     A Mandala Lunar 2017 é um diário para anotações dos ciclos femininos em sintonia aos ciclos da Lua e da natureza. Ela traz ferramentas para o registro diário das sensações, sentimentos predisposições sutis que sentimos em nosso ser. Ao propor a observação da natureza para entender os ciclos e as danças naturais de outros organismos e seres vivos, somos capazes então de assumir nossos próprios ciclos como naturais e perfeitos.     
    Somos energia em movimento, assim como os planetas, as marés, as estações, os fluxos da natureza e do universo. Através da percepção das sensações físicas, emocionais e energéticas que circulam em nós mulheres, nos tornamos mais atentas e conscientes dos nossos movimentos internos.
     Quando percebemos que estes compassos internos e ritmados acontecem fora de nós na natureza e nos ciclos lunares, passamos a entender nossos ritmos internos como sagrados, divinos e completamente naturais.
    O Yoga Shala é um ponto de distribuição da Mandala Lunar, se você tem interesse em adquirir entre em contato pelo 98425-5844 ou email yogashalars@gmail.com. Namastê!



quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Yoga Senior


Melhor Idade
Enquanto se tornar idoso na visão ocidental é sinônimo de doença, senilidade, fim do ciclo de vida profissional, discriminação e preconceito, na visão oriental, o envelhecimento é uma fase natural da vida e indica sabedoria, um momento de cuidar e olhar para si mesmo, meditar, refletir e priorizar a dimensão espiritual do Ser. 

Praticar Yoga com frequência pode contribuir e muito para viver a terceira idade de forma mais tranquila e saudável. A atividade leve traz benefícios para saúde física e mental, por isso é recomendada para todas as idades, inclusive para os idosos. 

Os exercícios respiratórios têm grande impacto sobre o cérebro. Ao praticá-los é possível diminuir a necessidade de determinados medicamentos, como calmantes e ansiolíticos (que controlam a ansiedade), afirma Norton Sayeg, membro da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia. A realização de uma respiração mais consciente, assim como a prática de meditação ajuda a alcançar maior relaxamento, tanto corporal como emocional, diminuindo a ansiedade e o estresse.

Fortalecimento dos ossos
Muito comum na terceira idade, a osteoporose, torna os ossos mais porosos e diminui a resistência aos atritos, o que aumenta muito o risco de fratura dos ossos nos idosos. O Yoga é caracterizado como um exercício isométrico e de sustentação, que fortalece os músculos e ajuda a diminuir a incidência de fraturas. Sendo assim um grande aliado para ajudar no tratamento da osteoporose.

Previne contra quedas
O Yoga tem exercícios para diversas partes do corpo que contribuem para diminuir o risco de queda, muito recorrente na terceira idade. Os exercícios para os olhos ajudam a manter a retina saudável, possibilitando que os idosos enxerguem melhor obstáculos no chão, degraus e evitando quedas. Há também exercícios que melhoram a flexibilidade dos dedos dos pés e fortalecem o arco do pé, oferecendo mais sustentação.  Além disso, os músculos também são fortalecidos, mantendo joelhos na posição correta, nivelando a bacia e melhorando as articulações do membros inferiores. E não para por aí, também é trabalhada a flexibilidade da coluna vertebral, que proporciona mais conforto, melhora a postura e oferece mais equilíbrio.

Diminui a ansiedade, o estresse e a pressão arterial 
Os exercícios de respiração e meditação ajudam e muito a diminuir o estresse e a ansiedade. Ajuda também a diminuir a pressão arterial, que em altos níveis, pode causar sérios danos à saúde dos idosos. Esses resultados são obtidos porque a sensação de relaxamento diminui a produção dos hormônios responsáveis pelo estresse, o cortisol e a adrenalina.

Melhora a capacidade de concentração e a memória
Um estudo publicado no Journal of Physical Activity and Health, mostra que a prática diária de apenas vinte minutos de yoga já são o suficiente para melhorar as capacidades cognitivas. Isto porque os exercícios de meditação e de respiração reduzem os níveis de ansiedade e estresse, melhorando a capacidade de concentração e fortalecendo todo o sistema cognitivo, inclusive da memória, que começa a falhar na terceira idade.

Além de ser uma ótima forma de socializar, encontrar as amigas e conhecer pessoas. Tenho alunas na faixa dos 60/70 que praticam há 15, 20, 40 anos juntas. Sou muito grata pela oportunidade de conviver com pessoas tão especiais. Hari OM!

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Yoga Baby


As atividades são bastante diversificadas e muito focadas em pontos importantes do pós-parto, como o realinhamento postural e o fortalecimento muscular. A prática ajuda não somente a restaurar a silhueta, mas também a aliviar as dores geradas pela pelas tarefas diárias com o bebê, e principalmente a reorganizar o equilíbrio emocional após o turbilhão de sensações que toma conta das mães durante esta etapa. Ainda que os exercícios sejam guiados pelas mães, o ritmo das aulas, é claro, é ditado pelos pequenos. Paradas para amamentar e trocar de fralda não são incomuns, mas sempre bem recebidas pelas demais praticantes, que também aproveitam o momento para trocar experiências.

Benefícios para a mãe:
- A atividade proporciona um momento de interação com o bebê
- Promove relaxamento, tranquilidade e autoconhecimento;
- É um momento de troca de experiências com outras mães;
- Fortalece a musculatura e promove a reeducação postural depois do parto;
- Ajuda no ganho de flexibilidade;
- Alivia dores e desconfortos do pós-parto.

Benefícios para o bebê:
- Auxilia no equilíbrio e desenvolvimento neuromuscular;
- Proporciona um sono de maior qualidade;
- Melhora e alivia cólicas;
- Promove uma conexão mais intensa com a mãe;
- Desperta coragem, força e firmeza corporal;
- São momentos de contato e socialização com outros bebês;
- Estimula a movimentação e coordenação motora.

Conexão Mãe-bebê
As mães saem das práticas mais alongadas, fortalecidas e relaxadas. E os bebês sentem imediatamente essas mudanças. É comum que, com a rotina de exercícios, o sono deles fique mais regulado e as cólicas, tão comuns nesta fase, diminuam. Os benefícios do Baby Yoga, que se estende também aos pequenos, são um reflexo da conexão entre mãe e filho. Delicadas massagens realizadas pelas mães nos bebês e momentos e intenso contato visual, silencio e reflexão entre os dois fazem parte das aulas, que duram cerca de 50 minutos.
Tudo que a mãe busca para o seu bem-estar é percebido pelo bebê, pois, neste momento, ele ainda é uma extensão dela. As práticas ajudam a mulher a desenvolver um maior domínio sobre suas emoções, alimentando sentimentos como autoconfiança e tranquilidade interior. E isso se reflete no comportamento dos pequenos.
Para que os resultados sejam positivos à mãe e ao bebê, entretanto, é preciso sempre respeitar os limites dos pequenos, as aulas só devem começar com a liberação do pediatra, quando a mãe já está pronta para realizar atividades físicas e o bebê mais firme e acordado - o que ocorre em torno do segundo mês de vida. Durante as práticas, as mães devem ficar atentas às reações dos filhos, perceber o que é agradável e o que incomoda, e modular os exercícios conforme a disposição deles. Somente quando o equilíbrio entre ambos é respeitado, a conexão se aprofunda:
- Diferentemente do que muitos pensam, o bebê recém nascido é muito sensitivo. Ele é capaz de sentir o ambiente de forma intensa e perceber se as coisas estão harmônicas ou não. Por isso, o equilíbrio da mãe e o fortalecimento do vínculo é tão importante durante este período - comenta o especialista.